Cidades

DESABRIGADOS

Famílias precisaram deixar suas casas em Tupirama por conta da cheia no Rio Tocantins

08/01/2022 16h21 - Atualizado em 16/01/2022 14h13

Gabriel Dias

A prefeitura de Tupirama informou que no sábado, 8 de janeiro, mais duas famílias tiveram que deixar suas casas por conta da cheia do Rio Tocantins. Segundo o secretário de Industria e Comércio do município, José Luis Zensque, na sexta-feira, 7, outras duas famílias já tinham sido desalojados de suas casas por conta da subida no nível do rio, situação que já havia atingido outras famílias da cidade nos últimos dias.

O secretário informou que uma das famílias foi abrigada no espaço cultural da cidade e as outras estão na casa de familiares. Zensque também afirmou que a prefeitura monitora a situação das famílias da zona rural e urbana por conta do aumento no nível do rio e que o prefeito, Ormando Brito Alves, montou uma comissão para acompanhar a população nesse período intenso de chuvas e cheias nos rios.

Segundo o secretário, que faz parte do grupo, a comissão conta com servidores ligados a secretaria de meio ambiente, enfermeira, assistente social e um profissional da educação, além do apoio das demais secretarias municipais. Em caso de mais pessoas que precisem deixar suas casa e não tiverem para onde ir, uma escola será disponibilizada para alojar esses moradores, de acordo com Zensque.

No final de dezembro do ano passado, a prefeitura de Tupirama já tinha emitido nota sobre o aumento no nível do rio devido ao aumento da vazão da Usina Hidrelétrica Luís Eduardo Magalhães, popularmente conhecida como Usina de Lajeado. A gestão municipal afirma que segue em estado de alerta e que prestará assistência à população de acordo com a necessidade.

A gestão afirma que, segundo relatos de moradores da zona rural, a cidade não passava por de cheia desde a década de 1990.


Boletim

Conforme o último boletim da Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (CEPDEC), divulgado neste sábado, Tupirama faz parte do grupo de cidades com pessoas desalojadas em todo o estado, sendo elas: Araguanã, Axixá do Tocantins, Paranã, Esperantina, Rio dos Bois; Pedro Afonso; Tupiratins; Palmeirante; Bom Jesus; São Sebastião; São Miguel; São Sebastião, Sampaio e Itaguatins. Ao todo, 32 cidades são monitoradas, com 328 moradores desabrigados e 516 desalojados no Tocantins por conta das chuvas e enchentes.

Situação de emergência

Na última quarta-feira, 5, o Governo do Tocantins decretou situação de emergência por causa das enchentes no estado. O documento assinado pelo governador em exercício Wanderlei Barbosa (sem partido), afirma que as inundações "comprometeram a capacidade de resposta do Poder Público dos municípios afetados, dificultando a identificação precisa da intensidade dos desastres".

Vídeo mostra cheia do rio
 

VEJA TAMBÉM: